Análise Ergonômica – O que é e para que serve?

Tempo de leitura: 5 minutos

Olá tudo bem? Em algum momento você já ficou na dúvida em saber o que é uma análise ergonômica, para que serve e o que envolve todo esse processo.Portanto, neste material vamos abordar todos os aspectos essenciais deste assunto.

Mas afinal, o que é uma Análise Ergonômica?

A análise ergonômica do trabalho – AET, também chamada de laudo ergonômico ou parecer ergonômico trata-se de um documento que é essencial para uma avaliação tanto qualitativa como quantitativa, de riscos ergonômicos presentes nos equipamentos, máquinas, postos de trabalho colaborador dentro da empresa.

É o tipo do documento que serve para rastrear, observar, avaliar e analisar como o trabalhador exerce sua função dentro da empresa. A partir disso, é possível estabelecer possíveis relações de doenças, acidentes e índices de produtividade com a análise ergonômica. É importante reforçar que a AET compreende três fases dentro do seu processo de execução:

  • análise ergonômica da demanda: análise dos ambientes físicos (calor, umidade, luminosidade, ruído, etc);
  • análise ergonômica da tarefa: análise das condições posturais e antropométricas do trabalhador, além de aspectos psicológicos e organizacionais;
  • análise ergonômica da atividade: análise das condições ambientais.

E a diferença entre análise ergonômica do trabalho e laudo ergonômico, você sabe?

Esses são dois termos que causam muita confusão na mente das pessoas, e com certeza já deve ter causado na sua não é mesmo? Então, vamos acabar de de vez com essa dúvida! Se formos verificar a norma regulamentadora de  nº 17 (NR 17) que rege a AET, podemos ver que o termo “laudo ergonômico” na teoria não existe, mas na prática esse termo é bastante utilizado, principalmente pelos profissionais da área de segurança e saúde do trabalho.

É importante lembrar que o termo “laudo ergonômico” é somente utilizado a pedido de um juiz, em uma ação judicial e com auxílio de um perito judicial.

E a sua empresa, precisa de uma AET?

Se a sua empresa ou qualquer outra possui empregados que estão passivos a riscos durante o exercício do trabalho, é necessário que seja realizada uma análise ergonômica do trabalho.

Tais riscos podem ser, por exemplo, atividades desenvolvidas que exijam sobrecarga muscular estática ou dinâmica do corpo ( pescoço,ombro,dorso,etc), carga e descarga de materiais, levantamento de materiais pesados, etc.

Segundo a NR 17, “ 17.1.2. Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora”. 

  • Promoção de campanhas educativas sobre temas como alcoolismo, assédio moral e sexual, doenças em geral, etc;
  • Estudo do ambiente de trabalho e promoção da resolução de problemas que possam ocasionar acidentes de trabalho;
  • Realização de cursos, palestras e demais atividades que alertem os funcionários sobre acidentes e prevenção dos mesmos;
  • Produção de materiais informativos para serem veiculados dentro da empresa, com dicas, comunicados etc.

Toda análise ergonômica é realizada de forma individual, de pessoa para pessoa. Minimizar riscos e gerar benefícios tanto para o trabalhador quanto para a empresa, já nos deixa convencido de que  AET é importante e toda empresa precisa ter.

Decidir fazer uma análise do trabalho no momento em que ele está sendo feito (a chamada análise do trabalho “real”) exige a elaboração e utilização de um conjunto especial de técnicas que possam ser usadas sem atrapalhar a atividade de quem está trabalhando ou realizando determinada função.

É importante lembrar que…

As condições de trabalho e o ambiente aos quais um trabalhador pode estar submetido influenciam diretamente na qualidade do produto e no desempenho da sua atividade na empresa, bem como na sua saúde e segurança. Assim, entende-se a importância da ergonomia, que elenca os aspectos físicos, relacionado com as características da anatomia humana, antropometria etc do trabalhador.

Cabe à empresa/empregador a realização da análise ergonômica do trabalho para poder avaliar as condições de trabalho em relação à condições psicofisiológicas do trabalhador, levando em consideração todas as condições de trabalho.

Condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos, às condições ambientais do posto de trabalho e à própria organização do trabalho. A análise visa aplicar os conhecimentos da ergonomia para analisar, diagnosticar e corrigir uma situação real de trabalho do dia a dia.

Entre diversos fatores que auxiliam na questão de motivação de trabalhadores nas empresas, está a ergonomia e consequentemente análises, que proporciona uma melhoria na relação do homem com seu ambiente de trabalho, otimizando os processos e interferindo diretamente na qualidade e produtividade em geral.

Podemos assim, concluir que…

A AET – Análise Ergonômica do Trabalho foi uma evolução muito útil à vida do trabalhador, já que levantou a necessidade de um ambiente propício a este, fornecendo uma maior segurança à sua saúde e melhorando a satisfação e qualidade de vida no ambiente em que está inserido.

Adaptar a atividade ao trabalhador e não o trabalhador à atividade; melhorar as práticas das tarefas com conforto, saúde, segurança e eficácia podem ser consideradas e de fato são, os objetivos principais de toda análise ergonômica.

Quer saber mais sobre este e outros assuntos?

Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas.

SAMED– Medicina e Segurança do Trabalho

(98) 3221-1480 / samed@samed.med.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.